Babi TV #DISKSAN

babitv3

Semana passada postamos mais um episódio (me deixem achar que é um seriado, tá?) do Babi TV (mas #Blablabi é muito mais legal)! O tema foi dúvidas sobre a trilogia Sábado à Noite, os livros da Babi. São cinco questões que ela explicou e contou mais sobre a história. Já viram? Só clicar aí! =)

Se quiserem saber mais sobre SAN e os futuros projetos da Babi, só perguntar nos comentários. =*

por Gui Liaga. Jornalista, publisher e agente literária. Darth Vader da SAN Crew, Grifinória/Corvinal, Distrito 4, Wolfpack, Vulcan e DarkSide. E alguém que não entende nenhuma espécie de preconceito, principalmente literário.
Capa de “Como Eu Realmente, vol. 2″

YEEEEEEEEEEEEEEY! Finalmente liberaram a capa do segundo volume da coleção Como Eu realmente, do site homônimo da Fernanda Nia. Sou super fã do trabalho dela e já li o livro durante o processo de produção e edição e está sensacional! Até melhor que o primeiro, se é que isso é possível. Sem falar que terá uma mini HQ no final e mais surpresas! TÔ ANSIOSA PRA TER A MINHA VERSÃO IMPRESSA! E eu AMO AMO AMO ROXO, ENTÃO QUE CAPA LINDAAAAAA! <3 Gostaram? O livro será lançado em maio pela editora Nemo. Não deixem de adicionar no skoob e no goodreads.

CER vol2

Ainda não conhece o trabalho da Fernanda Nia? Entre no site e no facebook. =)

cervol2_capaverso

por Gui Liaga. Jornalista, publisher e agente literária. Darth Vader da SAN Crew, Grifinória/Corvinal, Distrito 4, Wolfpack, Vulcan e DarkSide. E alguém que não entende nenhuma espécie de preconceito, principalmente literário.
Livro para colorir com representativide!

A cartunista Linnéa Johansson criou um livro bem legal de colorir! A ideia da ilustradora era ensinar o seu filho sobre representatividade e mostrar os diversos tipos de famílias e pessoas que existem no mundo. É possível baixar gratuitamente o PDF do livro, uma ideia sensacional, não acham?

“Quando o meu filho de 3 anos voltou da escola, vi que ele estava realmente triste, mas fazia força para não chorar, e aquilo pareceu muito doloroso. Quando eu perguntei o motivo de não querer chorar, ele me disse que era porque o Homem-Aranha não chorava. Eu trabalho como cartunista e sei que o Homem-Aranha chora sim e que outros super-heróis são sensíveis. Mas, por alguma razão, quando esses personagens são apresentados às crianças, eles se mostram agressivos e violentos. Eu acho que isso cria uma ideia de que os meninos precisam ser assim. O que realmente me incomoda é o fato de que, quando um garoto chora ou demonstra emoção, ele é comparado a uma menina (“pare de chorar feito menina!”). Por que fazer algo como uma garota é considerado um insulto? Por que um menininho de 3 anos deve esconder suas emoções? Isso me parece tão errado que decidi fazer algo a respeito. Meu filho também me perguntou um dia: “O Homem-Aranha também faz cocô?”. E eu disse que sim, que todas as pessoas fazem. E então desenhei a cena para ele. E o meu filho não gosta de escovar os dentes. Então criei o Homem-Aranha com uma escova nas mãos, como estratégia para incentivá-lo. Quando compartilhei essas imagens no Facebook elas viralizaram”, contou a autora. Veja mais da entrevista dela aqui.

imagem2imagem1

 

contra_esteriotipos_mulher_cria_ilustracoes_para_o_filho_2

por Gui Liaga. Jornalista, publisher e agente literária. Darth Vader da SAN Crew, Grifinória/Corvinal, Distrito 4, Wolfpack, Vulcan e DarkSide. E alguém que não entende nenhuma espécie de preconceito, principalmente literário.
Você conhece o Wizard Rock?

harry_potters

Você já ouviu falar no Wizard Rock? Relaxa, eu também não conhecia até uns dias atrás. O Wizard Rock é a vertente do Rock dedicada exclusivamente ao universo de Harry Potter! É tipo o Trock (que é inspirado pelo Dr. Who), e surgiu entre 2002 e 2004, depois do lançamento dos filmes no cinema. Uma das (se não a) principais bandas deste movimento é a Harry and the Potters – a que me apresentou ao Wizard Rock – que foi formada em 2002, um pouco depois do lançamento do primeiro filme da saga, A Pedra Filosofal. Tem como integrantes os irmãos Paul e Joe DeGeorge, e o primeiro álbum deles saiu em Junho de 2003 e fizeram uma turnê, cantando em livrarias. O sucesso foi crescendo e até hoje a banda está na ativa e são sucesso moderado e underground pelo mundo.

Dá uma olhada nas músicas dos caras:

Quer ouvir mais Wizard Rock? Dá uma conferida também no Draco and the Malfoys,The Whomping Willows, The Moaning Myrtles e The Remus Lupins! Demais, né? Espero que vocês tenham curtido o gênero – e que, apesar de saber que COM CERTEZA tem uma galera que já o conhecia antes do meu texto, isso aqui seja um empurrãozinho pra, quem sabe, um dia surgir uma banda com essa bandeira aqui no Brasil? Como diz a Bondie, “sonhar é gratuito!”

por Da5vi. Um meio termo entre o Will Burton e Cameron Frye. Enquanto o Ferris é o rei de matar aula (isso existe? lol), sou o rei da hiperatividade, AEHOOO!!! Fui criado pelos filmes do John Hughes e pago mó pau pros Beatles (menos pro Lennon, porque sou #TEAMGEORGE). Ah, também sou super fã da cultura punk/new wave e dos anos 80. Vim do passado, mas meu capacitor de fluxos quebrou, não sou íntimo do Doc... Acabei preso aqui! O cinco é mudo.