Resenha “Garota Online”, de Zoe Sugg (Zoella)

Garota-online-OKAcho que quase todo mundo que gosta de internet conhece a Zoella, né? Ela é uma blogueira britânica super famosa, que também possui um canal no youtube com dicas de maquiagem, moda e assuntos do cotidiano e mais de 4 milhões de seguidores no instagram! Ano passado, Zoella lançou seu livro de estreia e causou fuzuê na internet após ter sido acusada de usar ghostwriter (aqui e aqui). Para quem não sabe, o “escritor fantasma” é um profissional que vende seus serviços de escrita para editoras e autores, podendo escrever todo o livro/artigo/matéria ou parte dele, em parceria com o autor que terá o nome estampado na capa. Como a profissão é cercada por mistérios, as pessoas tendem a julgar e falar mais do que devem, mas muitos veículos (até jornais!) utilizam desse recurso e é considerado algo normal. Você, como leitor, pode ficar desconfiado e achar que está sendo enganado, é um direito seu. Mas eu achei muito legal a Zoella ter admitido que precisou de ajuda sim em seu primeiro livro. Isso só mostra como ela assume o compromisso de ser verdadeira com os seus leitores. E, vocês, o que acham?

Dito isso, eu comecei a ler Garota Online com baixas expectativas, a sinopse é um pouco clichê (obviamente que não tenho nada contra isso, aliás, eu mesma já escrevi sobre alguns clichês) e eu estava receosa de que não me apresentasse nada de novo. E foi aí que me surpreendi! A história é muito divertida e gostosa de ler!

Penny Porter é uma adolescente britânica que ama fotografia e decidiu criar um blog anônimo para postar as suas fotos e falar sobre seus maiores anseios e desejos. Quando um vídeo seu caindo (e mostrando a buzanfa para todos verem) na escola se torna viral, Penny aproveita a viagem da família a Nova York para colocar a cabeça no lugar e recomeçar. E é assim que Penny conhece Noah, o misterioso garoto roqueiro que irá balançar o seu coração. Tendo que lidar com o ciúmes de seu melhor amigo Elliot, um relacionamento à distância, o segredo de Noah e tentar manter sua identidade como a Garota Online secreta, Penny precisará saber quem ela realmente é. Sem falar na dificuldade de lidar com a síndrome do pânico, desenvolvida por causa de um grave acidente de carro. Aliás, eu achei ótimo tratar de um assunto sério desse tipo em um livro descontraído, tenho certeza que ajudará muita gente que passa por algo semelhante e não sabe como agir. Ponto para a Zoella, que, mesmo precisando de uma ajudinha na escrita, fez sozinha todo o esqueleto da história!

Eu dei boas risadas em várias cenas e fiquei encantada com a cumplicidade da família da Penny, chegando até a me emocionar. Garota Online é extremamente divertido e nos faz suspirar de amor nas partes certas, além de ser super atual. E ainda fala muito sobre amizade, o que eu adoro! <3 Não deixe de dar uma oportunidade a esse livro, principalmente se você gosta de romance juvenil! Parece que terá continuação, então mal posso esperar!

Garota Online é lançamento da Verus Editora. Adicione no skoob e no goodreads. Saiba onde comprar.

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora da trilogia de livros Sábado à Noite, formada em Cinema, Galaxy Defender, Caçadora de Sombras, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de gatos, doces, fanfics, séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.
BabiTV – Episódio Piloto

Heeeey, peeps! Resolvi sair um pouco da toca e começar a gravar vlogs sobre os meus dias e diversos assuntos, principalmente do mundo dos livros! A ideia do BabiTV (Blablabi é muito difícil de falar!!!) é fazer uma série de vídeos contando da minha experiência como escritora, dando algumas dicas do que aprendi, falando sobre fanfics, música, cultura pop e quero convidar autores para participar de desafios e brincadeiras! Mas a Gui (Sauron, minha agente) só me liberou gravar mais se vocês curtirem a ideia e darem joinha aí no vídeo! E aí, gostaram do episódio piloto? CORRAM PRA ME FAZER FELIZ! <3

Lembrando que amanhã, dia 28/03, tem Clube do Livro Saraiva comigo no Rio de Janeiro. Saibam mais aqui.

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora da trilogia de livros Sábado à Noite, formada em Cinema, Galaxy Defender, Caçadora de Sombras, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de gatos, doces, fanfics, séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.
Clube do Livro Saraiva e Lançamento de SAN3 no RJ

YEEEEEEEY FINALMENTE! Por causa de problemas nas agendas, não tivemos o lançamento de SAN3 no Rio de Janeiro! Por isso, quando a Frini me convidou para participar do Clube do Livro Saraiva desse mês, resolvi juntar os dois eventos. E estou suuuuper ansiosa para encontrar com vocês! Vamos falar sobre fanfics, internet, livros e SAN! Não deixem de ir, viu? No dia 28/03 (sábado), 15h, na Saraiva do shopping RioSul! Confirme a sua presença no evento do Facebook.

Oi, galeraaa! Não vejo a hora de

A Frini, organizadora do Clube do Livro Saraiva, pediu para eu responder algumas perguntas sobre fanfics e escrever, confira abaixo:

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora da trilogia de livros Sábado à Noite, formada em Cinema, Galaxy Defender, Caçadora de Sombras, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de gatos, doces, fanfics, séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.
Por que não protestar por Impeachment (e alguns outros assuntos)

Cara_pintadas

Olá. Da5vi de novo! Tudo bem?

Ultimamente tem se crescido bastante o desejo no Brasileiro de “ir às ruas” – Acredite, o meu também. Já estamos organizando na minha cidade (e espero que dessa vez dê certo) um protesto em prol de transporte para os Universitários que estudam em outras cidades, mas isso é outra história. Estou com vontade de ir à rua por outros motivos também, mas antes de chegarmos neles vou perguntar: Você sabe o que é Impeachment?

Impeachment vem do inglês e significa “Impedimento”. Só aconteceu três vezes na história: Primeiro em 1974 nos EUA, após dois jornalistas descobrirem um escândalo envolvendo o presidente Nixon (na verdade, ele foi tão pressionado que renunciou antes do Impeachment acontecer – veja o filme “Todos os Homens do Presidente” para saber mais); Depois em 1992, com Fernando Collor (que também renunciou antes do Impeachment ser aprovado) e o último em 2012 no Paraguai (dizem que este foi um golpe). Quando acontece, o Presidente é destituído do cargo e, pelo menos aqui no Brasil, fica impedido de se candidatar por OITO ANOS. Para que um pedido de Impeachment seja considerado, precisa-se ter COMPROVADO que a pessoa por trás do poder Executivo está envolvida em algum tipo de escândalo de abuso de poder, roubo etc.

Sabendo disso, fica a pergunta: A presidenta Dilma Rousseff está, comprovadamente, envolvida em algum escândalo? Não. Mas há chances dela estar envolvida? Sim. O problema é que tanto ela quanto Aécio ficaram livres da investigação da Operação Lava-Jato, sendo que ambos foram citados em delações. Ou seja: Não podemos ir às ruas pedir um Impeachment que não tem fundamentos para ser legitimado (isso pode ser considerado como golpe) – e, sinceridade? Muito menos ir “contra a corrupção”. Isso não é um problema da política em si (um dinheirinho pra educação não ia fazer mal a ninguém né gente), mas do ser humano. O que podemos pedir é:

dilma-aecio_1_0

- Que Dilma, Aécio e quaisquer político que seja citado nas delações sejam, de fato, investigados (e que as leis sejam cumpridas): De que adianta saber dos esquemas de roubo se não podemos tomar medidas para resolvê-los? Investigar não é acusar, e já diz o ditado: “Quem não deve, não teme”. Que mal há em investigar e provar para a população que você não está envolvido? Não adianta ir às ruas contra a corrupção, como já falei lá em cima (dá uma lida em filósofos pra saber mais), mas sim, deveríamos pedir o cumprimento das nossas leis e punições previstas por elas INDEPENDENTE de status social do réu. Elas, no papel (e só no papel), são maravilhosas. De fato, li parte da Constituição de 88 e sequer precisamos de projetos e novas leis para defender causas humanitárias: Tá tudo garantido lá (sério)! Só falta mesmo serem cumpridas.

pacote-correios

- Fim do monopólio de alguns serviços: Para um mercado crescer, precisa-se de concorrência. Concorrência é sinônimo de motivação, e motivação é o que precisamos para fazer circular o capital no mercado e valorizar nossa moeda. Como assim? Pegue os Correios, que aqui no Brasil tem monopólio na entrega de cartas, correspondências e coisas do tipo, por exemplo. Aposto que você já recebeu uma conta atrasada, sua assinatura de revista chegou um mês depois do que devia, seu produto chegou avariado por mau armazenamento… Enfim. Você, por falta de opção, tem que recorrer ao serviço deles se quiser enviar algo para um amigo ou cliente, então… Acha que eles vão ligar para os problemas, já que o comércio deles não está ameaçado? CLARO QUE NÃO! Mas abrindo espaço para ter outras empresas que façam o mesmo serviço, imagina o quanto os Correios não vão dar A LOUCA para, enfim, serem úteis?

abertura_empresa

- Facilidade para abrir um novo negócio: De acordo com o relatório “Doing Business”, o Brasil fica na posição 123º entre 185 países que foram classificados no “nível de facilidade para se abrir negócio”. Atualmente, demora mais de 100 dias pra abrir legalmente uma empresa aqui no país, enquanto em outros lugares dá pra fazer isso em menos de um dia (isso mesmo que você leu!). Maior facilidade, mais empresas. Mais empresas = mais dinheiro girando. E precisamos fortalecer nossa economia, certo?

Assentamento

- Melhorias na educação e repensar presídios: Ok, saímos do quadro de pobreza lá da ONU… Porém nosso país ainda ocupa uma das últimas colocações no Ranking da educação (38º de 40º, sinta o quanto tá podre a situação). Vejo que o governo abre anualmente várias escolas, mas não seria melhor tomar de conta das que já estão abertas? Muitas são sucateadas, professores se encontram desmotivados devido à baixos salários, precisamos de cotas para garantir que muitos da rede pública entrem na faculdade… Enfim. Já que estamos falando em educação, poderíamos também repensar os presídios. Sim, concordo que o cara foi preso por ter feito merda, mas qual é – adianta colocar ele numa cela em condições sub-humanas pra ele sair da cadeia com sede de vingança? Por aqui, os presídios servem mais pra piorar o crime que pra melhorar. Por que não fazer oficinas de trabalho, alfabetizar quem for analfabeto, inserir os presos num programa de serviço comunitário e, com isso, fazer com que eles se enxerguem “fazendo parte” da sociedade para não sentirem a necessidade de perturbá-la?

blog-sexualidade-na-educacao-direto-ao-ponto-penis-e-vagina

- Revisão do Bolsa Família, legalizar aborto e efetivar Educação Sexual: Pode parecer mentira, mas atualmente ainda é tão “cabuloso” se falar de sexo quanto há uns vinte anos. Eu mesmo só lembro de ter visto na escola sobre DSTs (com fotos) e tenho trauma disso até hoje! Por que não se investir em educação sexual para as pessoas saberem que, por exemplo, a Pílula do Dia Seguinte pode ser tomada até 72h após o sexo e o governo a distribui gratuitamente? Sim, por mais absurdo que pareça, existem pessoas que não conhecem camisinha, ou que acham que não existem outros métodos contraceptivos. Vale lembrar que nenhum método contraceptivo é 100% efetivo (teve gente que fez vasectomia e passou no teste de DNA do Ratinho, sério), então sim… Precisamos falar sobre aborto. Tudo isso diminuiria o número de bolsas do Bolsa Família. E por que o beneficiário do programa, caso tenha condições físicas para isso, não passa a fazer serviços comunitários? Poderíamos até aumentar o valor da bolsa, inclusive, já que assim diminuiríamos o gasto com outros serviços.

Esses são apenas alguns pontos pelo qual vale a pena protestar (e não coloquei mais pra isso aqui não ficar tão extenso) que podem ser resumidos em: REFORMA POLÍTICA! É importante também tomar cuidado com as coisas que lemos/vimos por aí. Muitas pessoas falam sobre como a mídia é “golpista” por enfatizar informações de apenas um lado da moeda, mas não se fala sobre como NÓS deveríamos ter a educação de não nos precipitar e sempre olhar os dois lados da moeda antes de formar opinião sobre um assunto.

protesto2

Não adianta querer que Dilma saia do poder para outra pessoa entrar e continuar a sujeira. O problema no Brasil não está focado apenas no PT, e vários outros partidos partidos tem sua parcela de culpa também (E todos eles tem que arcar com as consequências!). E nem preciso falar aqui sobre o quão estúpido é pedir intervenção militar, certo? Já tivemos militares duas vezes no poder, e nas duas vezes deu ditadura e acabou em merda (a última deixou a gente com uma dívida externa MAIOR que a atual). A história nos ensina que uma terceira vez não dá. Além disso, adivinha quem comanda a Polícia Militar? Isso mesmo, Dilma.

Com o advento das redes sociais hoje, as pessoas sentem vontade de “mostrar” que estão fazendo história, que são como o pessoal que viram em figuras de livros… Mas não adianta querer fazer parte da história SEM SABER DA HISTÓRIA. Olhar para trás é necessário para não repetirmos os mesmos erros! E não adianta ir às ruas sem haver sintonia de interesses, por que a “graça” de ir às ruas é fazer com que eu, praticamente um Oompa Loompa de tão baixinho, me torne grande por não estar sozinho. Somos mais de 200 milhões juntos gente. Vamos ser como os insetos no filme “O Estranho Mundo de Jack” e nos unirmos para formar um “Bicho-Papão”! Mas pra isso, precisamos ter consciência política e agir mais com a razão que com a emoção da revolta.

Oogie-Boogie-nightmare-before-christmas-226887_707_443

Sendo assim, vamos nos organizar: Gostaria de pedir à uma pessoa de alcance maior que o meu para organizar um protesto com pautas como as que dei aqui em cima. Assim todos nós participaríamos de forma organizada, se preocupando menos em mostrar que estamos “fazendo história” ou que temos um “cartaz legal” e mais em resolver os problemas de nosso país. Combinado?

por Da5vi. Um meio termo entre o Will Burton e Cameron Frye. Enquanto o Ferris é o rei de matar aula (isso existe? lol), sou o rei da hiperatividade, AEHOOO!!! Fui criado pelos filmes do John Hughes e pago mó pau pros Beatles (menos pro Lennon, porque sou #TEAMGEORGE). Ah, também sou super fã da cultura punk/new wave e dos anos 80. Vim do passado, mas meu capacitor de fluxos quebrou, não sou íntimo do Doc... Acabei preso aqui! O cinco é mudo.