Resenha – Orgulho e Preconceito

Sabe um daqueles livros que você conhece toda a história, conhece a autora, todo mundo fala dele e ainda assim você tem preguiça de ler? Eu tenho preguiça de alguns clássicos. Admito. Gosto de leitura fácil, desenrolada e que sirva pra me entreter. Não é uma regra, mas quando tenho alguns livros para ler eu procuro não incluir uma leitura mais densa no meio.
Mas graças à Penguin Companhia eu me libertei.
Ok, parece propaganda gratuita ou então algum tipo de sermão. A verdade é que eu nunca tinha parado pra pensar em ler Orgulho e Preconceito da Jane Austen até a Penguin me oferecer o livro e, sinceramente, foi um dos maiores prazeres do ano. Mesmo já conhecendo a história em nada foi entediante ou previsível. Foi uma leitura deliciosa, cheia de surpresas e de uma doçura sem limites.

Orgulho e Preconceito foi editado pela primeira vez em 1813, enquanto Jane Austen ainda estava viva. Foi publicado em três volumes originalmente, mas lançado muitas vezes depois como um só livro. Apesar de alguns erros de grafia na época, Jane escreveu em uma carta “Um ‘disse ele’ ou ‘disse ela’ teriam em algum ponto tornado o diálogo mais claro, mas eu não escrevo para elfos estúpidos e nem eles são lá tão ingênuos“.
Você consegue notar que sua linguagem é mais firme, doa a quem doer. E isso faz do livro um verdadeiro clássico. É, além de atemporal na leitura, crítica social, política e à ignorância. Elizabeth Bennet é um exemplo de personagem com personalidade, inteligente, perspicaz, irônica e carismática. Assim como o personagem delicioso de Darcy, que tem um caráter sólido e misterioso, sendo odioso de início. Você sabe quem tem algo ali e você quer descobrir o que é. Outros personagens também são exemplos caricaturados da vida normal, cheios de metáforas valiosas.

O que senti com o livro? Eu me apaixonei. Foi amor logo no início – e, parafraseando Mr. Darcy, ardentemente! – quando me deparei com uma personagem tão sensível e ao mesmo tempo tão determinada. É revigorante. O amor e o afeto entre o casal principal é algo tão sutil e que acontece tão gradativamente, mediante descobertas de caráter um do outro, que é ao mesmo tempo genial e delicioso. Em uma das noites de leitura eu mal consegui dormir. Parei forçadamente em um capítulo sobre Pomberley – porque a visão estava embaçada – e dormi tentando imaginar o que Elizabeth veria lá, se ela encontraria Darcy, a irmã dele etc.

Ah, desculpe. Você pode estar se perguntando do que se trata essa história, enquanto eu estou falando e falando do meu amor por ela. Pense o seguinte, Elizabeth Bennet é uma entre cinco filhas, que vivem de forma humilde. Na época, um dos papéis da mulher era conseguir um bom casamento por interesse. Lizz nunca aceitou muito nisso. Apesar de querer se casar por amor, não imaginava algum dia se apaixonar por alguém suficiente. Fora que havia o preconceito entre mudar de escala na sociedade. Quando conhece Mr. Darcy, o aristocrata amigo de um rapaz que corteja sua irmã, ela o odeia de cara. Ele não vê beleza em Elizabeth e ela não vê um bom caráter nele. Grosso, esnobe e orgulhoso, é o que ela acha. Entre conflitos, olhares e situações, Darcy e Elizabeth vão aos poucos percebendo o quanto os dois estavam errados. Ardentemente.

Droga, minha descrição não parece muito favorável. Mas eu garanto, é bem melhor. A linguagem culta pode ser esquisita no começo para quem está acostumado aos diálogos normais, mas não se engane. É de muito bom gosto, humor e delicadeza e aposto que, dando alguma chance, você vai se acostumar e acabar amando – e aumentando seu vocabulário.

O livro deu origem a várias outras histórias e adaptações, as mais conhecidas sendo a minissérie com Colin Firth no papel de Darcy (de 1995) e o filme com Matthew Macfadyen e Keira Knightley de 2005. Ambos, com suas fidelidades, pontos positivos e negativos, são super recomendados!

Orgulho e Preconceito foi relançado pela Penguin Companhia. Confira os preços na internet. Adicione no Skoob. Assista ao trailer do filme e ao da minissérie.

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora da trilogia de livros Sábado à Noite, formada em Cinema, Galaxy Defender, Caçadora de Sombras, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de gatos, doces, fanfics, séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.

42 comentários

  1. Taah Oliveira disse:

    Acho que estou sendo a primeira a comentar e devo dizer que simplesmente amei a resenha. Já havia visto o filme – na verdade tomei conhecimento sobre a belíssima história de Orgulho e Preconceito depois de ver o filme Amor e Inocência, que fala sobre a vida da Jane Austen e tem Anne Hathaway e James McAvoy como protagonistas – e confesso que depois de ler o livro, me apaixonei ardentemente (hehehe).

    Parabéns Babi. Com essa resenha tenho a certeza de que muitas garotas irão se interessar em procurar saber mais a respeito e depois de ler o livro – ou ver o filme, tanto faz – irão se encantar com a história tanto quanto nós.

    Beijinhos

  2. Max Cerqueira disse:

    Eu tenho muita vontade de ler esse livro
    mas sendo um clássico sempre fico com um pé
    atrás. tipo, assisti o filme, é uma coisa,
    mas ler com uma linguagem que eu não estou
    habituado é outra… aah ;O

  3. Meu Deus. Que perfeita a resenha.
    Todo mundo já sabe que sou fa incondicional da Jane e que O&P é um dos meus favoritos. Sua resenha está perfeita, descreve bem o livro.
    E sim, acho que uma das minhas cenas preferidas no filme e no livro é a da declaração de amor.
    Jane Austen conseguiu me conquistar e hoje é minha autora favorita!
    Parabéns Babi. Espero que com sua resenha, mais garotas descubram o fantástico mundo de Jane Austen.

    Eu recomendo “A abadia de Northanger”. É um livro muito bom, com uma história diferente de O&P mas com a mesma boa escrita de Jane.

    AMEI sua resenha. Demais mesmo.

    Beijos,
    Amanda Melanie

  4. Julie Neves disse:

    Sofremos do mesmo mal!
    Sempre me interessei por ler esse livro, e sendo uma boa amante da leitura, ele é quase obrigatório, mas me falta oportunidade. Ganhei o e-book gratuito pelo Koobits, mas como se trata de um livro bem antigo, ainda não tive coração de desafiar meu inglês Hahaha, então estou procurando uma boa desculpa para comprar em português.
    Eu vejo muita gente falando do quanto o Mr. Darcy é perfeito e minha curiosidade mora aí. kkk

    Adorei a resenha!
    Beijos,
    Julie
    http://www.booksjournal.org

  5. PoiisonGiirl disse:

    Eu li esse livro no ano passado e me apaixonei. É impossivel não gostar de Orgulho e Preconceito. E assim como todas, estou apaixonada por Mr. Darcy.

    Beijos, Julia
    Tijolinha, Books & Fanfics

    PS.: Está acontecendo um sorteio no meu blog valendo dois kits com 9 marcadores cada um. Se quiser dar uma olhada, clique aqui. A promoção vale só até o dia 26

  6. Meu sonho é ler esse livro. Eu simplesmente amo obras clássicas, mas nunca li nenhum livro da Jane Austen (embora eu tenha “Emma” em inglês na minha estante). É mais por falta de tempo mesmo :S
    Estou doida para comprar esse livro, mas existem tantas edições dele que eu fico meio perdida… Certa vez quase comprei uma com a capa do filme, mas desisti porque eu quis optar por uma capa mais ‘clássica’, alguma coisa mais a ver com a história.
    Gostei muito dessa edição da Penguin (eu ainda não a conhecia), talvez eu compre ela :)

    Ah, e eu adorei a sua resenha *-*

    Abraços,
    http://leitorasanonimas.com

  7. Leeh disse:

    Devo dizer que sou igualzinha a você quando se trata de clássico. Conheço a história, sei tudo sobre ela, ouço falar do autor e o caramba, mas me bate uma ~preguiiiiça~ pra ler, por causa da linguagem um pouco mais rebuscada e… ;; OIUSHFISUFDA
    Mas às vezes é bom deixar a preguiça um pouco de lado e encarar um clássico como Orgulho e Preconceito, porque a gente realmente se apaixona.
    Ok, eu tô falando mas até hoje eu não li o livro, mas eu sei que é o tipo de livro que se eu pegar pra ler de verdade, vou ficar apaixonada.
    Adorei sua resenha, é legal ver resenhas que o pessoal fica tão apaixonado pela leitura, que mal sabe o que dizer IAUFSHPFIDSA
    Mas tenha certeza de que se eu tiver a oportunidade, lerei esse livro, porque eu AMO o filme (choro mt com ele também, hehe)

  8. Laura Gomes disse:

    Tenho vontade, mas sempre fico com um pé atrás também! Agora eu estou morrendo de curiosidade para ler!

  9. Adorei sua resenha, só me deixou com mais vontade ainda de ler. É, ainda não li Jane Austen D:
    Eu já assisti o filme, mas nada se compara com o livro, não é verdade?

    Beijos, @nathaliaduarte
    http://www.mentalmorfose.com

  10. Nathália disse:

    Não acredito que você nunca tinha lido o livro bBbi !! hahaha
    É um dos meus livros favoritos, já li e reli várias vezes :)

    Devo comentar que às vezes acho uma pena as pessoas serem assim com relação aos clássicos antigos, afinal, eles deram origem a tudo não é mesmo? E os nossos romances atuais não seriam assim sem escritoras como a Jane Austen que escreveram obras primas como Orgulho e Preconceito!!
    Conselho: leia outra obras da Jane, como Persuassão e Razão e Sensibilidade

    xx

  11. Jéssica Biana disse:

    Eu sou muito suspeita pra falar sobre esse livro.Já comentei aqui sobre ele quando você postou sobre ele pela primeira vez.Eu vi o filme e de cara me apaixonei e depois comprei o livro e o li,virou um dos meus preferido.E cada vez que leio sobre essa história,vejo alguém comentando ou até assistindo pela milésima vez,a ideia que existem várias Elizabeths Bennet e vários Mr. Darcys por aí se concreta.

  12. Thaís Varine disse:

    Eu tenho vergonha de dizer que ainda não li esse livro! Só dei uma folheada =T
    Mas com certeza eu ler uma hora dessas.

    Beijos

  13. Thais disse:

    Ah, eu também amei essa história, mas devo confessar que não é minha preferida da Jane. Eu gostei bem mais de Razão e Sensibilidade.
    O fato dos clássicos serem cansativos é puramente a linguagem, muitas palavras, mesmo quando não a nada a se dizer. Até me forço um pouco a ler esse tipo de livro, justamente para aumentar o vocabulário e também o estilo de escrita, de texto. Acho lindo como nessas histórias as coisas são tão suaves que mesmo sendo óbvio você fica boba com o desfecho. Esse clássico não foi nem um sacrifício pra mim. Virei noites, o que é pior, no computador..
    Ah, já que você não é das maiores fãs dos clássicos, passe batida de Lolita.. É tenso.. xD
    Beijos flor.. até logo.

  14. Vanessa Lopes disse:

    Adoro Orgulho e Preconceito. Já assisti filme, série e li o livro. Impossível não se apaixonar, não é mesmo? Gostaria de saber como está a tradução dessa edição que você leu… Não me lembro de ter lido algum outro clássico, mas adoro a linguagem de Orgulho e Preconceito. Tenho duas edições aqui em casa, uma traduzida por Lúcio Cardoso e outra por Roberto Leal Ferreira. Claro, os dois tradutores tem seus méritos. Não é fácil traduzir inglês mais formal, mas eu prefiro a tradução de Lúcio Cardoso. A linguagem usada na tradução de Roberto Ferreira parece mais simplificada, e a de Lúcio Cardoso dá uma mágica totalmente diferente! E é isso que eu gosto no clássico. A linguagem complementa a ambientação do livro.

  15. Karlinha disse:

    Babi, olá flor. Bom, eu não poderia deixar de comentar no meu livro favorito não é mesmo?

    A questão de Orgulho e Preconceito é que muitas vezes como vc mesma falou algumas pessoas deixam de ler o livro pq, acham a linguagem clássica demais ou formal demais e até muita daz vezes entendiante. Mas, não é bem assim. Se a pessoa jogar seu pré- conceito para fora, com certeza Pride and Prejudice será um dos melhores livros já lidos. ( Sendo clássico ok?)

    Eu sou apaixonada por Jane Austen, assisti a praticamente todas as versões já feitas de pride and prejudice e de seus outros livros ( Até indiana viu?)
    kkk

    Outro que eu indico para ler é Northanger abbey é muitoooo bom e engraçado. Também é de Jane austen!

  16. Oi Babi!

    Adorei sua resenha. “Orgulho e Preconceito” é um livro que quero muito ler e ess nova edição da Penguin está muito boa, por sinal. Tenho medo de não me acostumar com os diálogos, mas – como você disse -, quero muito terminar o livro com um vocabulário melhor! Via sempre o filme da Keira e nunca soube o nome!

    Matheus, Bobagens e Livros

  17. Adriana T disse:

    Eu também amo Jane Austen, gosto de todos os livros dela, e embora eu fique meio em dúvida sobre meu favorito (não consigo decidir bem entre O e P ou Persuasão)Orgulho e Preconceito sempre vai ter um lugar especial na minha estante e no meu coração, foi o filme de 2005 que me abriu as portas desse mundo maravilhoso do século 19, e através de Jane Austen conheci vários outros clássicos ( As irmãs Brönte, Elizabeth Gaskel, Charles Dickens…)que estão na minha lista de favoritos.
    Amei o post, beijos

  18. Ni disse:

    Também foi uma das muitas que deixou a preguiça de lado e resolveu ler um clássico – agora tenho todos os livros dela (ta, mentira, falta um) na minha estante. É uma delícia ler Jane Austen, mas de qualquer maneira, acho que é um livro que não se pode ter pressa em ler, né? Adorei a resenha e espero que depois dela mais pessoas leiam e se apaixonem pela escrita dela! (Uma coisa que achei legal é aquele livro que lançou “Eu Fui A Melhor Amiga de Jane Austen” – não li, mas pelas resenhas vi que é um empurrãozinho para os livros da Jane Austen)
    Xx, Ni

  19. Bruna Campos disse:

    Quando vi o filme já fiquei morrendo de vontade de ler, mas sabe como é né? Depois de ver o filme por mais que você esteja com vontade, você sempre acaba adiando a leitura do livro e nunca lê. Comigo está sendo assim.

  20. Nathália de A. S. disse:

    Amo demais esse livro!

    E confesso… Me apaixonei pelo Mr. Darcy antes mesmo d’ele mostrar seu bom coração…

    Acho que esse livro é pra ser lido com bastante calma e paciência, porque é uma história realmente muito boa! A Jane Austen (na minha humilde opinião) foi brilhante ao escrever.

    Enfim… É uma ótima leitura! Realmente um clássico!

    @nathalia_asc

  21. Ane disse:

    Adore sua resenha de orgulho e preconceito. Agora fiquei com mais vontade ainda de
    ler ele. Agora só falta achar um tempinho vago.

  22. Eu já perdi as contas de quantas vezes vi o filme.
    O livro ainda não, mas já está na minha lista!
    :)

  23. Ingrid de Paula disse:

    Hum, sempre tive uma preguiçinha, que sempre tive vergonha de anunciar, ao ler livros muito “cultos” rs, mas vou tentar ler (:
    Gostei de ser uma dica diferente, a maioria das vezes são dicas sobre livros que estão na moda e tal, gostei 😉

  24. Fernanda Karen disse:

    AMO Jane Austen!
    E Mr. Darcy é meu herói favorito dela, mesmo Orgulho e Preconceito não sendo o meu livro favorito da autora.
    Jane Austen é de um talento inimaginável.
    Parece que conversamos com o livro dela.
    Parece que estamos lá, vivendo aquela época.
    Eu recomendo demais os livros dela.
    O estilo de Jane Austen é inalterável.
    As prosas são deliciosas de ler *-*

    A amo ardentemente ♥

  25. Gisele disse:

    Nunca li nenhum livro da Jane Austen..todos dizem que são maravilhosos!!!!..muita vontade de ler..alias são lindas as capas!!!!
    Espero ler em breve um livro dela!!!

    bjus

  26. Lara Lopes disse:

    Eu também nunca li nenhum livro da Jane, mas sempre dizem que são bons.

  27. Raissa Lima disse:

    Sabe aquelas listas de coisas que você precisa fazer antes de morrer?

    Então, ler os livros da Jane Austen é uma delas, ela é delicada e seu romance nunca está fora de moda.

    Todos deveriam dedicar um tempinho para ler seus livros =)

  28. Katy disse:

    Amo tudo relacionado a O&P!
    Realmente para quem não é acostumado, a linguagem pode ser meio chata. Mas garanto que a história da Lizzy e do Mr. Darcy vale muuuuito a pena! <3

  29. Jasmine Holanda disse:

    Depois que li Jane Austen – A vampira, me deu uma súbita vontade de ler os livros dela… E pensei seriamente em começar por Orgulho e preconceito!

  30. teresa mm disse:

    Adorei o filme, comprei o livro. Li em inglês da penguin pocket. É tradução fiel. Conheci MM como mr.darcy and i love him most ardently. Quero assistir os pilares da terra.

  31. Nany Vianna disse:

    Eu li Orgulho e Preconceito pra escola, e como é uma obrigação, não me agradou a leitura.

  32. Nany Vianna disse:

    Mas a história é perfeita, e o final é bem diferente do do filme. Super indico, vocês vão se apaixonar por Elizabeth e Darcy.

  33. Érica Morais disse:

    Orgulho e Preconceito é um dos meus livros preferidos. Amo os personagens e amo a historia. Perdi a conta de quantas vezes li o livro e vi o filme. Vi também a mini série. Achei bem legal e fiel, embora aquele final tenha saído meio do nada. Eu gostava do filme ser diferente de todos os outros por eles nunca se beijarem de fato, mas na série é diferente.
    Mas os dois são ótimos. =)

  34. Marcia Cristina C Santos disse:

    Eu assisti o filme, achei lindo. Os livros da Jane são maravilhosos.

  35. Gizelly disse:

    Orgulho e Preconceito é, sem dúvidas, o meu livro favorito.
    Assisti ao filme antes de ler o livro, e algo na história e nos personagens realmente me cativou. Quando li o livro, já amava a história e o livro se tornou o meu favorito .<

  36. Sabryna disse:

    Sou doida pra ler esse livro *o*
    depois que eu terminar os dois que eu tô lendo, vou ler ele! haha 😉

  37. Tullia Maria disse:

    Eu me sinto um pouco que nem você em relação aos clássicos… Mas sempre dou uma chance!
    E me arrependeria se não tivesse lido Orgulho e Preconceito… Foi uma ótima surpresa! Comprei por acaso, na livraria de uma rodoviária, e depois não larguei mais!
    Venci o sono e me apaixonei pela história de Lizzy e Darcy!
    Se puder deixar uma recomendação, acho que você deveria ler também O Outro Lado de Orgulho e Preconceito! É a história contada sob o ponto de vista de Darcy, que consegue ser ainda mais apixonante! :)

  38. Fernanda Freire disse:

    Amo Jane Austen e orgulho e preconceito é definitivamente my fav book eveeeeeeeeer

  39. karine disse:

    É um dos meus livros favoritos…

  40. Jully Guedes disse:

    O povo tem uma impressão de que clássicos sempre são ruins,mas isso não é verdade.Claro que tem clássicos q n contam uma história legal,mas do mesmo modo tem clássicos muito,muito,bons.Exemplo de um bem legal que li aos 12 anos e tinha uma linguagem bem simples é Pollyanna moça.Foi um dos melhores livros que já li na minha vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge