Resenha de “A Garota de Papel”, de Guillaume Musso

Só de ler o nome do livro já me chamou a atenção. A capa, super bonita, é outro adendo à vontade de ler. Entre as capas internacionais, a da editora Verus é – de longe – a melhor delas. Olha aí no final da resenha. Se ler a sinopse, inclusive se for escritor, será totalmente apelativo. Imagina só: seu personagem sai direto das páginas do seu livro para salvar a sua vida. A verdade é que, como autor, a gente passa a pensar em nossos personagens como pessoas de verdade. Eles criam vida na nossa imaginação e, por passarem tanto tempo conosco escrevendo suas histórias, acabam se tornando bastante… reais. E achei muito interessante que Guillaume Musso colocasse isso no papel.

Mas preciso dizer que tivemos pontos fortes e alguns bastante fracos durante a leitura. Vou tentar pontuar com menos spoiler possíveis, não se preocupem. Porque, primeiro, a escrita de Guillaume é super fácil, divertida e cativante. Ele escreve com um jeito todo real, como se estivesse realmente te contando aquela história, que você nem vê passar. E inclusive nesse livro que a primeira pessoa se torna terceira pessoa de um capítulo pro outro. Pode soar estranho, mas o autor faz com que isso seja completamente plausível. Um personagem narra o que acontece com ele – e o misterioro narrador fala sobre a vida de seus amigos. Sabe o clássico “escreva como fala”? Encaixa bem aqui e é um ponto positivo.

O livro começa também com matérias jornalisticas, emails e notícias como introdução à vida do personagem. É uma ótima forma de explicar onde a história se encontra sem precisar contar A + B. Escritores,  por favor, se inspirem!

A Garota de Papel conta a história de Tom Boyd, escritor de um grande sucesso literário jovem (tipo Crepúsculo ou Sussurro) que, por um problema amoroso, acaba ficando em depressão sem conseguir escrever. Sua vida pessoal desmorona, assim como a profissional. E os fãs estão aguardando. Cadê o último livro da série? Quando, frente ao desespero, Tom acaba conhecendo uma garota que, teoricamente, caiu no seu mundo sem pé nem cabeça dizendo ser Billie, uma personagem secundária de seu romance (que, aliás, sofre pra caramba! Coitada!). Isso poderia realmente acontecer? Mas como ela sabe tanto sobre suas próprias idéias?
No meio disso tudo é contada a vida de seus dois melhores amigos, Carole e Milo, que enfrentam o pão que o diabo amassou pra fazer Tom voltar à vida.

E também, a parte que mais me confundiu, o trajeto que um livro perdido e incompleto (vocês vão saber sobre quando tiverem o livro, aham!) pelo mundo, passando por diversas pessoas diferentes e tocando várias vidas. Sei que o autor pensou nisso como algo bonito – mas simplesmente saiu confuso. Fora isso, Tom e Milo – apesar de falidos – viajam pros quatro cantos do mundo e eu realmente não entendi o limite de cartão de crédito deles. Não faz sentido. E isso me chateou um pouco ao longo do livro, algumas coisas de repente não faziam muito sentido.

Mas o final é realmente muito interessante e inesperado. Melhor do que se fosse uma pura ficção. Apesar de parecer um pouco corrido – as coisas acontecem tipo “vamos viajar. Ok, vamos” e a galera vai e pronto. Que se dane a vida.

Um livro pra leitores e escritores, com muitos sentimentos e discussões sobre criatividade e bloqueios. É um livro sentimental, ao mesmo tempo que muito divertido e cativante. Vale a pena! Foi uma bela surpresa!

“A tela exibia o site amazon.com. Só com a pré-venda, meu ‘futuro romance’ já ocupava o primeiro lugar da lista de mais vendidos, imediatamente antes do quarto volume de Millennium. “O que acha disso”, perguntou. “Achei que Stieg Larsson estava morto e que o volume quatro jamais seria publicado!” “Estou falando do seu livro, Tom!””

“Se a arte existe porque a realidade não é suficiente, talvez chegue um momento em que a arte tampouco seja suficiente, passando o bastão à loucura e à morte.”

A Garota de Papel é um lançamento da editora Verus. Adicione no Skoob. Saiba onde comprar.

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora do livro Sábado à Noite, formada em Cinema, professora, Galaxy Defender, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.

19 comentários

  1. Ana Elisa disse:

    Achei sensacional a ideia do livro, eu ia surtar muito, e dar pulinhos de alegria se os personagens(da minha fic mesmo) saíssem das telas.
    Adorei a resenha, me deixou com mais vontade de ler o livro, mesmo com os pontos fracos. xD
    Beijos.

  2. Angélica Brunatto disse:

    Nossa, adorei a proposta do livro! Vontade de ler! Ah como seria legal um personagem sair das páginas de um livro! Hehe
    Beijos
    angelica
    http://www.angelicabrunatto.com.br
    Angélica Brunatto postado recentemente…[lançamentos] Abril 2012 – Novo Conceito

  3. Sabryna disse:

    ADOREII a resenha, deu muito vontade de ler o livro!!
    quem sabe depois que terminar de ler JV eu leio esse! ;)

  4. Rissia Ribeiro disse:

    Adorei a resenha ficou muito fofa ! Ja´pensou um perdonagem sair do livro e vir pra vida real ? *O* ia ser a maiors confusão ! kkkkkkk

  5. Bruna Campos disse:

    Adorei o nome do livro e a capa. Já a história eu achei bem legal, adorei o modo como você esclareceu os pontos positivos e os negativos na sua resenha, mas não acho que esse é um livro que eu compraria pra ler.
    Bruna Campos postado recentemente…Vampiros x Anjos

  6. Lorena Rocco disse:

    Eu tenho que para de me apaixonar por capas, nomes e resenhas de livros.
    Se eu tivesse dinheiro e tempo para ler todos os livro que quero, não fazia mais nada da vida. hahaha

    Mais um livro a minha imensa lista de desejados no skoob.
    hahaha

    =*
    Lorena Rocco postado recentemente…Aquela. Ela.

  7. Caroline Melo disse:

    Adorei a sua resenha, o livro tem uma história muito legal. E sem falar na capa que é super linda, fiquei na vontade de ler *-* Beijos

  8. Eu não conhecia esse livro, gostei bastante.
    Quando entrei no post só li o nome mas não me interessei, quando olhei bem pra capa. AI MEU DEUS! Ela é linda.
    Fiquei bem curiosa. Essa história parece ser boa. Estranha. Mas boa.

    Beijos,
    Mandi – Book and Cupcake.
    Amanda Faustino postado recentemente…Lycia Barros lança seu quinto livro

  9. katy disse:

    Ai que capa linda! E achei a história super interessante também!
    Se tiver oportunidade, quero muito ler!
    :*

  10. Livia Brazil disse:

    Só pela frase final do post eu já leria. Muito interessante a idéia do livro.

  11. Érica Morais disse:

    Ameeei a capa. Com certeza muito mais bonita que as outras. Quero muito ler. (Haja dinheiro e tempo pra conseguir ler td que eu quero, mas td bem. Em julho tem férias)

  12. Keite disse:

    Eu só estou babando ever na capa *-* não consigo nem pensar. Quero esse livro e quero muito vai para a minha imensa lista no skoob :/

  13. Claudia Malta disse:

    Como sempre eu me apaixono pela capa pra depois ler o titulo e a resenha
    E claroooooooooooooooooooooooooo me apaixonei por essa e todas as versões
    Quero muito ler esse livro..querooooooo

  14. Marcia Cristina C Santos disse:

    Nossa fiquei super curiosa agora, adicionando ele no skoob. E ainda bem que a capa pro Brasil é Linda!! Beijos, ótima resenha.

  15. Rafaela. disse:

    As capas são tão lindas, adorei todas elas. :)
    Ótima resenha, me deixou bastante curiosa.

    Beijocas, Babi.
    Rafaela. postado recentemente…Dialogando: com Larissa Siriani

  16. Paula Ribeiro disse:

    Adorei a resenha, parabéns!
    Esse livro parece ser bem legal!

  17. karine disse:

    Amei a resenha, e as capas tbm claro rsrs

  18. karine disse:

    Amei a resenha, e as capas tbm claro rsrs

  19. Malu disse:

    Estou lendo esse livro!
    Apesar da linguagem fácil e de rápida leitura não deve ser considerado um livro ruim, mas poderia ser muito melhor elaborado…isso poderia.

    mas estou gostando…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Powered by sweet Captcha

CommentLuv badge