Resenha de “A escolha”, Kiera Cass

aesvcA trilogia “A seleção” me causa diversos sentimentos conflituosos. Eu até hoje não sei se adoro ou detesto. Mas a verdade é que na categoria distopia, os livros deixam muito a desejar e apresentam buracos grandes e feios. Sem falar em soluções bobas e óbvias. Você passa o tempo todo esperando a guerra, a porradaria, a confusão e NADA. Contudo, no quesito romance é surpreendente como a história te prende. Não saber o destino amoroso de America e torcer por ela ou pela sua candidata preferida durante a seleção! E as capas? EU AMO ESSAS CAPAS E ESSES VESTIDOS!

Em A escolha, finalmente o leitor saberá quem America escolherá. Além de acompanhar o drama da Cinco no preparo de ser uma dama e, quem sabe, futura rainha. A competição está acirrada e quem poderia ser amiga pode ser inimiga e vice-versa. Maxon também aparece mais e sua vida no palácio não é nem um pouco fácil. Com o rei tirano, o príncipe percebe que pode lutar por seus objetivos se tiver o apoio fundamental, o que podemos ver em America. Mas a ruiva não sabe se nasceu para comandar, ela só quer ser livre. Algumas cenas são mais fortes e, na minha opinião, foram mal desenvolvidas (Paige sumiu do nada?!). O drama familiar de America poderia ter sido mais profundo, mas não quero dar maiores spoilers. Aspen também está lá, com as convicções equivocadas e esperando o perdão do amor de sua vida, enquanto passa os dias vendo America de gracinha com o príncipe.

Talvez o problema seja nas personagens principais. Eu gosto de todos e acho todos uns chatos. Ninguém sabe o que quer e, quando se decidem, arranjam empecilhos. Mas durante esse livro as trocas entre Maxon e America rende bons diálogos, embora os dois sejam imaturos e cheios de vontade. Como existem apenas quatro garotas, dá para conhecer melhor cada uma e CELESTE É PURO AMOR! Acompanhar a evolução do caráter e das ideologias da America é o ponto mais interessante. Ela não é uma badass, mas não faz a ingênua. E é bastante autêntica – o que falta no príncipe, mas que ele aprende com ela.

Como o enredo é confuso e com cenas desconexas, vamos rever personagens antigos e conhecer novos, mas nenhum consegue se fixar. Eu já esqueci da metade e isso é péssimo para um livro. Esperava mais da trilogia e desse desfecho. Não é nada surpreendente, mas algo faz você ler direto, sem interrupções. Espero que vocês gostem mais que eu.

ESSES VESTIDOS DESSAS CAPAS!! SAPOSKAPSIKAOPSKAA

A escolha é lançamento da Seguinte. Adicione no skoob. Saiba onde comprar.

por Gui Liaga. Jornalista, publisher e agente literária. Darth Vader da SAN Crew, Grifinória/Corvinal, Distrito 4, Wolfpack, Vulcan e DarkSide. E alguém que não entende nenhuma espécie de preconceito, principalmente literário.
Bloodlines, de Richelle Mead é da nova Cia das Letras

A Cia das Letras anunciou hoje a criação de quatro novos selos editoriais que prometem ainda melhor qualidade do que a editora vem mostrando até agora. Entre eles está a Editora Seguinte, selo jovem que estará em funcionamento a partir de Setembro desse ano e que conta com grandes nomes já na grade (Leia a matéria completa no site da editora).

Um exemplo deles é Bloodlines, de Richelle Mead, um spin off da série Academia de Vampiros (que no Brasil é lançado pela Agir).

Este livro conta a história de Sydney, uma adolescente alquimista (um grupo de humanos responsáveis por manter a existência dos vampiros em segredo). Durante sua vida toda ensinaram a ela que vampiros e dampiros são seres malignos e inaturais, mas tudo isso está prestes a mudar quanto ela é forçada a conviver com alguns deles, e a se esconder em um colégio interno com Jill, meia-irmã da nova rainha dos vampiros.

Confira resenhas da série Academia de Vampiros.
Saiba mais sobre Bloodlines.
Twitter da Richelle Mead

Veja mais dos lançamentos da Editora Seguinte.

No século 24, a população é dividida em castas, e todas as garotas sonham com a Selection: uma chance de viverem no palácio e competirem pelo amor do príncipe Maxon. America Singer pretende se casar com Aspen, seu namorado secreto de uma casta inferior. Quando ela é uma das 35 garotas sorteadas para a Selection, pretende deixar bem claro para o príncipe que não tem o menor interesse em ser rainha de um país onde tantos passam fome, e que está sob constante ataque de rebeldes. Mas para sua surpresa, ela e o príncipe aos poucos se tornam próximos, e ela se vê forçada a escolher entre uma vida que achou que havia deixado para trás e um futuro que nunca havia imaginado.
Este é o 1º volume de uma trilogia que está cotada para virar uma série da CW com Aimee Teegarden, Ethan Peck e William Moseley nos papéis principais (eles estão gravando o piloto agora, então o site e os twitters abaixo estão cheios de informações de casting, fotos dos bastidores e etc)

Saiba mais sobre o livro.
Twitter da Kiera Cass, a autora.
Twitter da série de TV.

Esta nova série se passa no mesmo universo de “Desventuras em série”, embora não tenha os mesmos personagens. Os livros falam de Lemony Snicket, um jovem que começou seu aprendizado em uma organização desconhecida, longe de todos que ele conhece e confia. Ele começou a fazer perguntas que não deveriam ser feitas. Agora ele escreveu esse relato que não deve ser publicado, em quatro volumes que não devem ser lidos. Como era Lemony Snicket aos 13 anos de idade? Como ele desvendará os segredos obscuros de uma cidade cinzenta? Quando um vilão demente terá sua vingança doentia? Onde está a estátua que acabou de ser roubada? Quando foi a última vez que você comeu? Essas são todas perguntas erradas.

Saiba mais sobre o livro.

A editora só estará em pleno funcionamento a partir de Setembro, então os livros acima ainda não tem data de lançamento! Mas vamso ficar de olho, certo?

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora do livro Sábado à Noite, formada em Cinema, professora, Galaxy Defender, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.