Resenha de “A Herdeira”, da Kiera Cass

the_heir__1414078529p1SE VOCÊ NÃO LEU OS LIVROS ANTERIORES E NÃO GOSTA DE SPOILERS, NÃO LEIA ESSA RESENHA!

 

E aí que a trilogia A Seleção ganhou uma extensão e em A Herdeira iremos conhecer a vida da America Singer vinte anos após o livro A Escolha. Mas, nessa história, a protagonista é Eadlyn, a princesa e herdeira do trono de Illéa.

O rei Maxon e a rainha America estão enfrentando novamente dificuldades com o povo. Mesmo com o sistema de castas extinto, não é fácil fazer com que toda a população aceite o novo modelo de governo e acabe com o preconceito. Diversas revoltas populares estouram e até atentados a lugares públicos, como restaurantes, entram em evidência. O clima de tensão entre os habitantes de Illéa é crescente e Maxon precisa de uma solução antes que a rebelião comece de vez e muitas pessoas se machuquem. Para acalmar os ânimos e distrair a população, o rei traz de volta a seleção, mas agora é a primeira vez que o evento acontecerá com uma mulher e 35 candidatos homens.

Eadlyn é a filha mais velha do casal por meros minutos, pois nasceu antes de seu irmão gêmeo Ahren. Esse acaso fez a sua criação ser diferente da dos irmãos, afinal ela é a herdeira do reinado e sabe o peso que é comandar um país. Mas a princesa nunca quis se casar, ainda mais com 18 anos! E nunca achou que os seus pais a fariam passar um casamento arranjado, sem amor. E é esse ponto que mais me incomodou no enredo. Na minha cabeça, America é uma mulher forte e independente, bastante decidida. Nunca achei que ela fosse capaz de permitir algo como a seleção para seus filhos, mesmo com a desculpa de que os monarcas precisam sacrificar suas próprias escolhas a fim de tomar decisões para toda a população. O que ameniza isso é o fato da autora colocar que a princesa impõe que participará da seleção, mas só se casará se realmente quiser.

Dito isso, imagino que vocês já leram por aí que Eadlyn é insuportavelmente mimada e também que ela é assim por conta da sua criação, rodeada de privilégios, luxos e raramente saindo do palácio. Mas, para mim, caráter é algo que independe do meio e ela poderia ser sim mais humilde e até respeitar mais as pessoas. A forma como ela trata a sua criada é egoísta, fiquei um pouco incomodada. Claro que espero a redenção da personagem, imagino que ela vá evoluir, principalmente por conta da seleção, onde conhece diferentes rapazes com vidas opostas à dela.

Mesmo com a clara política do Pão e Circo, o que Kiera Cass sabe fazer de melhor é criar uma narrativa que prende o leitor. Eu li esse livro direto em poucas horas e fiquei agoniada com o final querendo saber mais. Adoro a forma como a autora retrata as relações e os romances, tudo flui muito rápido. Fiquei querendo saber mais sobre os candidatos, principalmente sobre o carismático Henri e seu intérprete Erik. Aliás, estou torcendo secretamente pelo Erik, e eu sei que ele nem na competição está, por isso seria um ótimo plot!

Mesmo não gostando nada da Eadlyn, por uma questão de identificação pessoal, quero saber o fim da história e aguardo ansiosamente o próximo livro. E, claro, como sempre falo, meu sonho é usar esses vestidos das capas da série! <3

A Herdeira é lançamento da editora Seguinte. Adicione no skoob e no goodreads. Saiba onde comprar.

por Gui Liaga. Jornalista, publisher e agente literária. Darth Vader da SAN Crew, Grifinória/Corvinal, Distrito 4, Wolfpack, Vulcan e DarkSide. E alguém que não entende nenhuma espécie de preconceito, principalmente literário.
Capa nacional do novo livro da Sarah Dessen

A Pâm Gonçalves mostrou no canal dela a capa nacional do novo livro da autora Sarah Dessen, que será lançado em agosto desse ano pela editora Seguinte.

Os Bons Segredos é sobre Sydney, uma garota que se sentiu invisível durante toda a vida, pois seu irmão Peyton sempre foi o foco da atenção da família. Peyton é lindo e carismático, mas possui uma tendência autodestrutiva que já lhe rendeu diversas punições e temporadas na reabilitação. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paralítico, e vai parar na prisão. Sydney, agora sem a referência do irmão mais velho, muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. É aí que entram os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra aceitação total. Há a entusiasmada Layla, que vive se apaixonando pelo cara errado e tem uma fixação por batata frita; Rosie, a irmã mais velha que é patinadora e também já causou sua dose de problemas; o sr. Chatham, que comanda uma deliciosa pizzaria e adora músicas tocadas no banjo; a sra. Chatham, com quem Sydney compartilha seu amor por reality shows e que, mesmo doente, é quem mantém todos unidos; e Mac, o irmão mais velho de Layla e a pessoa que finalmente parece enxergar Sydney de verdade.

Parece muito bom, né? Ainda não li nada da Sarah Dessen, mas estou morrendo de curiosidade para conhecer essa história! E amei a capa, principalmente as cores! <3

os bons segredos_frente

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora da trilogia de livros Sábado à Noite, formada em Cinema, Galaxy Defender, Caçadora de Sombras, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de gatos, doces, fanfics, séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.
Resenha de “Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo”, de Benjamin Alire Sáenz

Aristoteles-e-danteO que dizer desse livro que li em 3 horas e já considero pacas? E dessa capa LINDAAAAA??? *corre em círculos*

Continuando a minha maratona literária A Year A Thorn (saiba mais aqui), o mês de fevereiro teve como tema Diversidade. E esse livro foi ótimo, pois, além da temática sobre homessexuais, os personagens são descendentes de mexicanos. Embora não seja o objetivo da história, é possível perceber sinais sutis de preconceito e como latinos são vistos nos Estados Unidos. Então super combinou com o propósito da maratona!

É início de verão e Aristóteles não tem amigos. Com quinze anos, o garoto se sente diferente de todos e não consegue se enquadrar na vida que consideram normal. Ele é explosivo e introspectivo, mas possui uma doçura quase poética. Filho temporão, suas irmãs já são adultas, casadas e com filhos, Ari sofre por não ser próximo de seu pai e pela família jamais mencionar o irmão mais velho que fora preso. Tentando lidar com tudo isso, o garoto decide passar seu tempo fora de casa na piscina pública mesmo não sabendo nadar. E é aí que ele conhece Dante.

Dante é o tipo de pessoa que você quer ter como melhor amigo. Ele é questionador, desinibido, inteligente e muito divertido. A amizade dos dois se fortalece rapidamente e são inúmeros diálogos que mostram a profundeza dos personagens. Eu adoro livros focados nas conversas, parece um jogo de pingue-pongue e realmente prende a atenção do leitor.

Após um verão intenso, que resulta em um grave acidente, a relação dos amigos fica abalada, mas não de forma negativa. Se recuperando ainda, Ari fica sensível e irritadiço principalmente depois de Dante precisar se mudar por causa do trabalho do pai. Durante um ano, a amizade deles sobrevive com telefonemas e cartas. Ari não entende por que fica com raiva de Dante e de suas novidades, mas Dante o aceita como é e continua a descrever sua vida. Com a volta do garoto à cidade, Ari e Dante ficarão mais unidos e passarão por diversas dificuldades recheadas de receios, confissões, sonhos compartilhados, desejos e, claro, segredos do universo.

Embora eu não tenha gostado do final, senti que o autor optou pela saída mais fácil e tudo foi muito rápido, essa história é muito mais do que eu possa dizer em um post sem spoilers. É um livro que encanta pela sutileza que aborda as dificuldades da adolescência, de se descobrir no mundo e saber qual o seu papel, além de tratar como a família é importante no nosso desenvolvimento. Indico esse livro para todas as pessoas e de todas as idades. É realmente apaixonante!

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo foi lançado pelo selo Seguinte. Adicione no skoob e no goodreads. Saiba onde comprar.

por Gui Liaga. Jornalista, publisher e agente literária. Darth Vader da SAN Crew, Grifinória/Corvinal, Distrito 4, Wolfpack, Vulcan e DarkSide. E alguém que não entende nenhuma espécie de preconceito, principalmente literário.
Kiera Cass lançará mais livros de “A Seleção”‘

Os livros da história de America Singer eram uma trilogia, certo? Pois agora não são mais! A autora Kiera Cass revelou que fará mais dois livros sobre a queridinha de Illéa, além de mais dois contos: The Queen (sobre a Rainha, mãe de Maxon, que será lançado em dezembro) e The Favorite (sobre a melhor amiga da Meri, Marlee).

O  quarto livro da série se chamará The Heir (O Herdeiro) e tem previsão de lançamento para maio de 2015. Ainda não se sabe sobre o quinto volume e talvez último (ou será que vão aumentar ainda mais?).

A trilogia que não é mais trilogia A Seleção foi lançada aqui no país pela editora Seguinte e também já possui dois contos: O Príncipe (visão do Maxon) e O Guarda (visão do Aspen).

Abaixo um vídeo que a autora postou contando as novidades (em inglês):

Que venham mais livros com aquelas capas lindaaaaaaaas e vestidos escandalosoooos! <3

por Gui Liaga. Jornalista, publisher e agente literária. Darth Vader da SAN Crew, Grifinória/Corvinal, Distrito 4, Wolfpack, Vulcan e DarkSide. E alguém que não entende nenhuma espécie de preconceito, principalmente literário.