Conheça o livro “Cada um na sua casa”, lançamento da Gutenberg

A galera do Pavablog me enviou o release de “Cada um na sua casa“, lançamento da editora Gutenberg, e eu fiquei apaixonada pela capa, pelos detalhes e pelo filme! Pois é, o livro foi adaptado aos cinemas como animação pela Dreamworks, e estreia no dia 26 de março. Serão mais de 500 salas exibindo a saga de Oh, um Boov inteligente e trabalhador que ama fazer tudo por conta própria! Olha essa capa, que LINDA:

42862967

Sinopse: É véspera de Natal quando a mãe de Gratuity Tucci, ou Tip, de 12 anos, é abduzida, e ela fica sozinha com seu gato, Porquinho, na Pensilvânia. A seguir, uma enorme e bizarra nave especial pousa na Terra. Dela saem uns alienígenas baixinhos chamados Booves, que declararam que este planeta seria sua nova casa, e que os terráqueos dali deveriam ir todos para a Flórida, porque eles iriam ocupar o resto do país. Tip precisa ir por conta própria ao lugar destinado aos humanos. Amarra latas embaixo dos sapatos, apanha seu gato e parte dirigindo o carro da família. No caminho, conhece um Boov renegado e trapalhão chamado Ó, que acaba ficando seu amigo, transforma o automóvel em um veículo voador e os dois partem em busca da mãe dela. Na aventura, Ó provoca outra invasão extraterrestre e os dois precisam se unir para resolver toda a confusão criada e tentar salvar o único lugar que resta a ambos para morar – a Terra.

Compre agora!
Aproveite para assistir ao trailer do filme e embarcar na história o quanto antes. Também tem fanpage no Facebook, se quiser acompanhar as novidades.

cadaum1

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora da trilogia de livros Sábado à Noite, formada em Cinema, Galaxy Defender, Caçadora de Sombras, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de gatos, doces, fanfics, séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.
We Didn’t Forget About You: 30 anos do Clube dos Cinco

Meu diretor favorito é John Hughes e não escondo isso de ninguém. O cara simplesmente tinha um dom para retratar a teenage angst (além de um ótimo gosto musical) e influenciou inúmeros outros dramas adolescentes, como 10 Coisas Que Odeio Em Você. Um de seus trabalhos, “O Clube dos Cinco”, completou 30 anos esse mês e sinceramente, apesar de tanto tempo, a temática que ele aborda é mais atual que nunca.

O filme parte da utopia de John Hughes, que pensou “e se os jovens, aqueles mesmos jovens que tratam uns aos outros por se acharem mundos distantes, sentassem e percebessem que tem mais em comum do que imaginam?” e mostra cinco alunos, cada um representando um grupo social do High School americano, em detenção no Sábado, 24 de Março de 1984. Eles tem como atividade escrever um texto de 1000 palavras sobre quem eles pensam que são, mas ao invés disso eles fazem algo bem mais interessante, que é conhecer o próximo, ouvir seus problemas e cair na real de que, apesar de nossas aparentes diferenças, nossa essência é a mesma. Toda essa parte externa é apenas uma casca daquele ser humano, e o filme aborda isso, que muitas vezes nós vemos aquela pessoa do modo que nos convém, por essa “casca” e não pelos valores que ela tem, pelas coisas que ela viveu.

Poderia falar mil e uma coisas sobre o quanto eu amo esse filme – mas só queria dizer: Quem nunca participou de um “Breakfast club“? Quem nunca, por um motivo ou outro, acabou sentado junto daquelas pessoas que você achava idiota no colégio e jurou de pé junto que nunca ia dar um “oi” e acabou descobrindo q aquela pessoa é mega legal, tem umas ideias legais — e algumas até batem com as SUAS??? É essa a graça do filme! É algo normal. Raro, mas que por exemplo, já aconteceu comigo várias vezes.

E como eu sou uma pessoa legal, separei um monte de curiosidade sobre o filme pra você, que é fã assim como eu. Dá um jeito de escapar da detenção e vem conferir:

Billy Idol foi um dos nomes que rejeitaram ofertas para dar vida ao tema do filme, “Don’t You (Forget About Me)”. Chrissie Hynde (The Pretenders), também não quis gravar a música, mas sugeriu que ela fosse oferecida para a Simples Minds, cujo vocalista era seu ex-marido (Jim Kerr).

bender

– O canivete usado na cena em que Bender luta com Andrew era do próprio Judd Nelson. Aparentemente, ele o guardava por “questões de segurança”.
Emilio Estevez fez o teste para John Bender. Como John Hughes não conseguiu ninguém para o papel de Andrew Clark, Emilio decidiu mudar de ideia, e Judd Nelson entrou para o elenco. Bender, no entanto, foi o último papel a ser escalado e estava entre Nelson e John Cusack .  Aparentemente, Nicolas Cagetambém foi cogitado, mas pediu um cachê muito alto.

davidbowie

– Sabe aquela citação no início do filme? É da música “Changes”, do David Bowie e foi sugestão da Ally Sheedy.

cenafinal

– Escrito em dois dias, “O Clube dos Cinco” foi filmado em sequência, após ensaios dos atores, como se fosse uma peça de teatro. A cena final, em que Bender caminha pelo campo de futebol, foi a última a ser gravada no último dia de filmagens.

ally

Ally Sheedy achava o Anthony Michael Hall tão fofo que o apelidou de “Leite e Biscoitos” – ele não gostou.
John Hughes estudou na Glenbrook North High School, escola que foi usada para gravar várias cenas externas. A mesma foi utilizada nas filmagens de “Curtindo a Vida Adoidado”.

juddbotas

– Para amolecer suas botas, Judd Nelson as deixou de molho em óleo de motor por um dia.

rickmoranis

Rick Moranis (Querida, Encolhi as Crianças) foi escalado como o zelador, mas por diferenças criativas foi substituído pelo ator John Kapelos.

clair

– As roupas da Claire foram compradas especificamente para a personagem na única Ralph Lauren (Rachel curtiu isso) que havia em Chicago naquela época. John Hughes havia rejeitado o guarda-roupa original, pois não achou sofisticado o bastante. Molly Ringwald se arrepende até hoje de não ter ficado com as botas da personagem.

desenhodaalisson

– A caspa que Allison usa como neve caindo em seu desenho foi feita com queijo parmesão. Sempre achei que era farinha, hahaha
– A fala “chicks cannot hold their smoke” faz parte de um ato do comediante Richard Pryor (O Brinquedo). Anthony Michael Hall, que a usou no filme, era um grande fã do cara e estava improvisando.

escadafilme

John Hughes deu a cada ator um pedaço do balaústre da escada na biblioteca como recordação.
– No início do filme, quando é mostrado o interior vazio da escola, você pode ver o que as pistolas de festim fizeram com o armário do Brian – além de uma foto do zelador (junto com outros ex-alunos) como o “homem do ano”.

highschool

– O título do filme vem de um apelido usado por alunos e membros da New Trier High School, escola frequentada por um dos amigos do filho de John Hughes. A mesma foi usada para cenas de filmes como “Curtindo a Vida Adoidado” e “Esqueceram de Mim”.

menoresdeidade

Anthony Michael Hall e Molly Ringwald tinham ambos 17 anos quando o filme foi gravado. Como eram menores de idade, seus horários de trabalho eram limitados à 4 horas diárias, fazendo com que algumas cenas fossem gravadas usando dublês. Judd Nelson era o mais velho, com 27 anos. Emilio Estevez e Ally Sheedy tinham 23 anos cada.
– A mãe e irmã de Brian Johnson (Anthony Michael Hall) foram interpretadas por sua mãe e irmã na vida real, e o próprio John Hughes faz uma participação especial como seu pai na cena final do filme.

Algumas cenas excluídas do filme podem ser vistas na versão para televisão americana. Elas foram usadas para substituir as partes censuradas e manter o tempo total de duração.

E você, já assistiu O Clube dos Cinco?

Post adaptado do ShortList.

por Da5vi. Um meio termo entre o Will Burton e Cameron Frye. Enquanto o Ferris é o rei de matar aula (isso existe? lol), sou o rei da hiperatividade, AEHOOO!!! Fui criado pelos filmes do John Hughes e pago mó pau pros Beatles (menos pro Lennon, porque sou #TEAMGEORGE). Ah, também sou super fã da cultura punk/new wave e dos anos 80. Vim do passado, mas meu capacitor de fluxos quebrou, não sou íntimo do Doc... Acabei preso aqui! O cinco é mudo.
Já começaram as gravações de “O escaravelho do Diabo”

AIMEODEOOOOOS! Essa notícia me deixa MUITO animada! AHHHHHH!

O Escaravelho do Diabo é um livro da autora Lúcia Machado de Almeida, que foi lançado pela editora Ática em 1972 dentro da coleção Vaga-Lume (A MELHOR SÉRIE DE LIVROS INFANTO-JUVENIS DESSE PAÍSSSSSSSSSS). Como o título já entrega, é uma história de suspense, onde uma série de assassinatos acontece em uma pacata cidade de interior. Alberto, de apenas 13 anos, se junta ao Inspetor de Polícia local para ajudar nas investigações da morte de seu irmão Hugo. Logo percebem que as vítimas tem algo em comum: a cor dos cabelos, além de terem recebido na véspera de suas mortes uma caixa com um escaravelho. Uhhhhhhh! NÃO FALAREI MAIS NADA POR CAUSA DE SPOILERS! Eu li esse livro na quinta série (sexto ano? Sei lá, por que raios mudam as coisas?) com 11 anos! E eu morria de medo desse livro! Eu deixava a capa voltada pra baixo pra não ver o escaravelho! HAHAHA Só que é um livro genial e que acaba fazendo parte da vida de muito leitor brasileiro. Poxa, são 43 anos que esse livro está no mercado – e na 27a edição!

escaravelho_book_de_venda_16_11_1

Aí essa semana saiu o primeiro cartaz da versão do filme! As gravações já começaram e a equipe adiantou que se manterá fiel ao livro, mas adaptará a história para os tempos modernos. Super justo! Com previsão de lançamento nos cinemas em julho de 2015, o longa será dirigido por Carlo Milani e tem Marcos Caruso, Jonas Bloch, Selma Egrei e Lourenço Mutarelli no elenco. Haja ansiedade! Se você ainda não leu esse livro, aconselho a se preparar! Saiba mais informações no site oficial.

 

por Gui Liaga. Jornalista, publisher e agente literária. Darth Vader da SAN Crew, Grifinória/Corvinal, Distrito 4, Wolfpack, Vulcan e DarkSide. E alguém que não entende nenhuma espécie de preconceito, principalmente literário.
Os Backstreet Boys vão lançar um filme: e já tem trailer!

Se você também foi adolescente no final dos anos 90, aposto que surtou muito com o clipe de Everybody (você acabou de cantar “yeah” e já tentou imitar a coreografia!) e chorou várias vezes ouvindo I’ll Never Break Your Heart (ou Quit Playin’ Games (With My Heart)). É fato confirmado: meninos e meninas foram fãs do Backstreet Boys, uma boyband clássica formada em 1993 por AJ, Howie, Brian, Nick e Kevin. Admita que seus amigos fizeram cover, que você brigou para escolher um favorito e que achava a voz do Brian a coisa mais bonita de todos os tempos (embora meu favorito fosse o Nick e eu nunca tivesse entendido o que as pessoas viam de bonito no Kevin)!
Agora, se você não era adolescente nos anos 90 e não pegou a época de ouro dos garotos da rua de trás, seus problemas acabaram. Os caras se juntaram novamente (todo mundo sabe disso) e prepararam um filme contando sua história e como sobreviveram no mundo da música em meio aos gritos enlouquecidos, paredes cheias de pôster e milhões de álbuns vendidos. O filme chama Backstreet Boys – Show Em What You’re Made Of (sim, o mesmo nome da música deles) e tem previsão de chegar aos cinemas dos EUA em 30 de janeiro – nada pro Brasil.

Ô Brian, meu filho, essa é a foto oficial pro pôster! Eita mania de sair zoado…

Existe um trailer oficial (que você pode ver clicando aqui), mas o que passou durante um dos shows da nova turnê deles é INCRÍVEL! E dá logo vontade de chamar janeiro pra poder ver essa belezinha completa!

Visite o site oficial do filme e assine a Newsletter para receber novidades e notícias. Também não deixe de curtir a página no Facebook deles para divulgar pros coleguinhas!

EVERYBODY YEAH, YEEEEEEEEEAHHHHHHH… ROCK YOUR BODY, YEAH! *todo mundo canta junto*

Só pra entrar no clima…

1800433_585441131526609_700797728_n

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora da trilogia de livros Sábado à Noite, formada em Cinema, Galaxy Defender, Caçadora de Sombras, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de gatos, doces, fanfics, séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.