Livro Capitolina terá novo volume

A editora Seguinte lançará o segundo volume do Capitolina no final de agosto. O site que é uma espécie de revista eletrônica teve seu primeiro livro publicado ano passado, Capitolina – O Poder Das Garotas reúne diversos textos e artigos para meninas com temáticas feministas e empoderadoras. Agora, Capitolina – O Mundo é das Garotas também terá conteúdo exclusivo com quadrinhos, entrevistas, fotografias e muito mais. Já estou super ansiosa para ter o meu exemplar!

13653490_839118169555162_1139588570885880503_o

Sinopse: Depois de mostrar o poder das garotas, a Capitolina vem provar que, juntas, podemos transformar o mundo. As 46 colaboradoras que participaram dessa edição usaram as mais diversas formas de expressão para produzir um conteúdo inclusivo e livre de preconceitos, voltado especificamente para garotas adolescentes. Além dos melhores artigos publicados no segundo ano da revista on-line, em “Capitolina: o mundo é das garotas” você encontrará temas inéditos, como ciências, esportes e saúde. Outra surpresa são os formatos diferentes: tem entrevista, bate-papo, história em quadrinhos, manifesto, conto, ensaio fotográfico… Tudo ilustrado por artistas supertalentosas.

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora da trilogia de livros Sábado à Noite, formada em Cinema, Galaxy Defender, Caçadora de Sombras, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de gatos, doces, fanfics, séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.
Já viram o livro da Capitolina?

Capitolina é uma revista online criada em 2014 com o intuito de gerar conteúdo de qualidade para meninas, garotas e mulheres. Por causa da falta de informações e textos que falem a língua das adolescentes brasileiras, a equipe tem a incumbência de gerar conteúdo com foco na representatividade e inclusão. Temos visto vários casos onde as mais famosas publicações para o público jovem ainda possuem um editorial atrasado e preconceituoso, como, por exemplo, matérias em que ensinam como as garotas devem agradar e se vestir para os homens (APENAS, NÃO!). Essas situações só mostram como é importante que a nova geração tenha maior contato com artigos que possam trazer uma identificação mais realista. Quem é mulher e já passou pela adolescência sabe como é confuso tentar se enquadrar no padrão “perfeito” exigido pela sociedade. Ter que se adequar a um corpo “perfeito”, a um cabelo “perfeito”, a um comportamento “perfeito”. Mas seres humanos não são perfeitos e existem tantos biotipos diferentes, que essa padronização só cria mais insegurança em nós. E essa insegurança, infelizmente, pode ser o início para o desenvolvimento de doenças sérias, como depressão, anorexia, síndrome do pânico, crise de ansiedade, entre outras.

55092_gg

Eu já conhecia o trabalho da revista virtual, mas fui procurar mais sobre o projeto quando a editora Seguinte lançou o livro Capitolina, em setembro deste ano. A edição está incrível e reúne os melhores textos publicados no portal, além de alguns inéditos, e ilustrações sobre os mais variados temas, de relacionamento a feminismo. No total, são 41 jovens escritoras e 23 artistas talentosas. As leitoras vão encontrar conselhos, dicas, reflexões, muito apoio e, principalmente, a sensação de que não estão sozinhas. E, para completar, há atividades interativas para que cada leitora ajude a construir o livro e dê a ele seu toque pessoal. Incrível, né? Super recomendo esse livro e o site, claro! Não deixe de adicionar no skoob.

A Gui fez isso no livro dela ó:

IMG_20151003_140420

por Babi Dewet. Mora no Rio de Janeiro, é autora da trilogia de livros Sábado à Noite, formada em Cinema, Galaxy Defender, Caçadora de Sombras, Jedi, Sonserina, fã de Kpop, empresária neurótica, amante de gatos, doces, fanfics, séries de TV coreanas e filmes bobos americanos.